simon fernandes >>

Quem tem ouvidos nunca dorme

Contemporay art.Simon Fernandes

-
Não é o silêncio que se move
Escultura
90x150cm
Backlight com frente de acrílico perfurada
a laser com nuvem de pontos gerada por
programção javascript,a partir de sons
captados nas manifestações de 2013 em São Paulo
2013-2018
-

Contemporay art.Simon Fernandes

-
Silêncio
Escultura
90x150cm
Backlight com frente de acrílico gravada
a laser com nuvem de pontos desenvolvida
com programção javascript,
gerada por processamento de sons
captados nas manifestações de 2013 em São Paulo
2013-2019
-

Contemporay art.Simon Fernandes

-
Vibrátil
objeto - díptico
80x60cm
Nuvem de pontos desenvolvida
com programação em javascript
gerada por processamento de sons
de conversas captadas na
linha vermelha do metrô
de São Paulo,
gravada a laser sobre placas de acrílico vermelho
2018
-

Contemporay art.Simon Fernandes

-
Espectro sonoro I
Imagem digital
5000 x 5000px
Nuvem de pontos desenvolvida
com programação em javascript
gerada por processamento de sons
coletados nas manifestações
de 2018, em São Paulo,
2018 - 2021
-

Contemporay art.Simon Fernandes

-
Espectro sonoro II
Imagem digital
5000 x 5000px
Nuvem de pontos desenvolvida
com programação em javascript
gerada por processamento de sons
coletados em caminhada em Forataleza,
no dia do resultado das eleições de 2018
2018
-

Contemporay art.Simon Fernandes

-
Espectro sonoro III
Imagem digital
5000 x 5000px
Nuvem de pontos desenvolvida
com programação em javascript
gerada por processamento de sons
coletados em caminhada em São Paulo,
no dia 08/08/2020.
Dia no qual o Brasil atingiu 100.000 mortos por covid-19
2020
-

Contemporay art.Simon Fernandes

-
Espectro sonoro IV
Imagem digital
5000 x 5000px
Nuvem de pontos desenvolvida
com programação em javascript
gerada por processamento de sons
coletados em abril de 2021 na praça do leões, em Fortaleza.
2021
-

Contemporay art.Simon Fernandes

-
Quem tem ouvidos, nunca dorme escuta #1
A geladeira vazia é um cubo branco, ou uma caixa acústica.(?)

blog Pivô

-

Uma geladeira vazia pode ressoar alto e preencher boa parte da paisagem sonora de um ambiente, seu ruído ocupa o espaço de forma sutil e quase silenciosa. É mais uma camada a ser desvelada da massa de informações provenientes da cidade. Gosto de ouví-las, e, vez por outra, de luzes apagadas, faço sessões solitárias de audição do eletrodoméstico. Dessas experiências surgiram notas sobre alguns métodos que encontrei para escutá-las, cada um deles apresenta formas diferentes de estabelecer contato com as obras sonoras da caixa branca.  

1:  

Escuta à distância, onde exploramos os ao redores da geladeira e deixamo-nos levar pela curiosidade da audição. A idéia é procurarmos pequenos territórios sonoros, variações de timbre, volumes e diferentes sons. Circular por seus lados, abaixar-se. Levamos o ouvido à parte de trás de modo a perceber as variações do eco e como o som propaga-se no ambiente.  

2:  

A escuta táctil é um passo à diante em nossa exploração, a proposta é usar o corpo como extensão do aparelho auditivo. De preferência com o dorso nu, encostamos o osso esterno em uma das quinas da geladeira, os braços abertos deitam-se ao longo de suas laterais, reclinamos as mãos abertas sobre a lataria, apoiamos a testa em algum ponto do objeto alinhado com o peito. De olhos fechados, deixamos a vibração extender-se da superfície da geladeira à pele.  

3:  

Como uma sala de concerto, a geladeira foi concebida para oferecer climatização e estrutura acústica. Pomos a cabeça no seu interior, encostamos a porta no pescoço a fim de evitar vazamentos sonoros, percorremos com os olhos a parte interna do objeto. O ar das altitudes é gélido.  
 

>> who has ears, never sleeps - listening # 1 The empty refrigerator is a white cube or a speaker. (?)  

An empty refrigerator can resonate loudly and fill much of the sound landscape of an environment, this noise occupies the space in a subtle and almost silent way. It is another layer to be unveiled from the mass of information coming from the city. I like to listen to them, and sometimes, with the light off, I do solitary listening sessions of eletrodomestics. From these experiences notes about some methods that I found to hear them came up, each of thempresents different ways of establishing contact with the white box sound works.  

1:  

Hearing from a distance, where we explore around the refrigerator and we let ourselves be carried away by the curiosity of hearing. The idea is to look for small sound territories, variations of timbre, volumes and different sounds. Circling by your sides, lower yourself. We bring the ear to the back. so we can see the variations of the echo and how the sound propagates in the environment.  

2:  

Tactile listening is a step forward in our exploration, the proposal is to use the body as an extension of the hearing apparatus. Preferably with the bare back, we place the external bone in one of the sides of the refrigerator, the open arms lie down along its sides, we rest our open hands on the body, we support the forehead in some point of the object aligned with the chest. Eyes closed, we let the vibration spread from the surface of the refrigerator to the skin.  

3:  

As a concert hall, the refrigerator was designed to offer acclimatization and acoustic structure. We place the head in its interior, we leaned the door in the neck in order to avoid sound leaks, we cross with the eyes the inner part of the object. The air in the altitudes is icy.  



-
Quem tem ouvidos, nunca dorme escuta #1
A geladeira vazia é um cubo branco, ou uma caixa acústica.(?)

Instruções para escuta de geladeira

2017
-